Indústria

A Energiewende não afecta apenas o sector da energia, mas também a indústria em geral.

A Energiewende não afecta apenas o sector da energia, mas também a indústria em geral. A transição para uma economia de baixo carbono só será bem sucedida se a indústria alemã permanecer forte enquanto a quota de energias renováveis aumentar. Até agora, tem sido este o caso. As energias renováveis cresceram para mais de 36% da matriz energética, enquanto a indústria alemã se manteve competitiva internacionalmente. O objetivo é manter essa posição mesmo quando as energias renováveis representam 80% da matriz.

 

Há cinco factores-chave: em primeiro lugar, os custos do sistema energético devem ser mantidos o mais baixos possível, seja como for, na expansão das energias renováveis. Isso significa minimizar o custo da expansão da energia renovável e também o custo das opções de flexibilidade para um sistema com alto volume de energia variável. Em segundo lugar, os custos da energia industrial - especialmente entre as indústrias de alta intensidade energética - não podem ser tão altos que ameacem a competitividade da indústria alemã em comparação com países com metas de proteção climática mais baixas. Em terceiro lugar, a eficiência energética é fundamental: uma maior eficiência energética industrial reduz significativamente o peso dos custos energéticos para as empresas alemãs, ao mesmo tempo que aumenta a competitividade. Em quarto lugar, através de uma gestão activa da carga, a indústria pode ser uma fonte de flexibilidade, gerando novas fontes de rendimento no mercado e beneficiando quando um excedente de energia eólica e solar faz baixar os preços de mercado. Finalmente, a Alemanha, como país exportador, pode beneficiar do seu papel pioneiro na transição energética. O mercado da energia eólica e solar está em expansão. Cada vez mais países enfrentam os mesmos desafios na integração das energias renováveis nos seus sistemas de electricidade. As tecnologias e know-how desenvolvidos na Alemanha através da Energiewende podem agora ser exportados para todo o mundo.

 

Para além das emissões provenientes da produção de electricidade, as emissões de gases com efeito de estufa provenientes dos processos de produção tornar-se-ão também cada vez mais importantes no futuro. Isto é uma consequência tanto do Plano Alemão de Proteção Climática 2050 como das metas internacionais de emissões, que exigem a neutralidade dos gases de efeito estufa até meados do século. Isso também oferece oportunidades para a indústria alemã. Afinal, não se trata apenas de desenvolver e aplicar as tecnologias-chave para uma actividade económica neutra em termos de gases com efeito de estufa, mas também de conseguir êxito no crescente mercado global de tecnologias de protecção do clima.

Contato

Parceiros

Bild

Mantenha-se em contacto - subscreva a nossa Newsletter!

]>