China

O sistema energético chinês está a mudar rapidamente. Embora a China continue a ser, de longe, o maior produtor e consumidor de carvão, as energias renováveis registaram um crescimento sem precedentes nos últimos anos. A China é há muito o primeiro país do mundo em termos de capacidade instalada de energia eólica e, mais recentemente, de energia fotovoltaica. Só em 2016, a China instalou mais de 30.000 MW de sistemas fotovoltaicos. A título de comparação, temos actualmente um total de cerca de 40.000 MW na Alemanha.


Embora o crescimento da energia renovável na China seja promissor, o país enfrenta enormes desafios. Os incentivos regulamentares anteriores conduziram a uma redução significativa da utilização de energias renováveis; as redes de transporte e distribuição exigem elevados níveis de investimento. O governo chinês reconheceu muitos desses problemas e anunciou reformas no 13º Plano Quinquenal, como a introdução de um mercado de eletricidade. O governo chinês pediu à Agora Energiewende para ajudar no desenvolvimento da política energética. Para isso, estamos em parceria com o Centro Nacional de Energia Renovável da China (CNREC), um grupo de especialistas que faz parte do Instituto de Pesquisa Energética (ERI) da China. Outros parceiros incluem o National Renewable Energy Laboratory (NREL) nos Estados Unidos, DEA na Dinamarca e DENA na Alemanha. No âmbito desta colaboração, a Agora Energiewende coordena os seguintes projectos: "Papel das energias convencionais", "Desenho do mercado da electricidade" e "Comunicação estratégica".


O nosso trabalho neste projeto é financiado pela GIZ e está inicialmente limitado ao final de 2019.

 

Gestão de Projectos

Todo o conteúdo

Mantenha-se em contacto - subscreva a nossa Newsletter!

]>